"EU FAÇO O QUE POSSO, O QUE NÃO POSSO... PACIÊNCIA...".



- 2º Crônicas - 12 - 10 : 0 INTRODUÇÃO: O episódio talvez não seja conhecido, mas nos deixa grande lição. Roboão era filho do rei Salomão (sucessor). Um fato narrado nas Escrituras Sagradas define com precisão o caráter de Roboão. Seu pai Salomão afligiu o povo com altos impostos, seus conselheiros, anciãos, pediram clemência. Mas ele preferiu os conselhos de seus amigos de infância. Ele foi cruel:" se meu pai vos afligiu com açoites, eu vos afligirei com escorpiões, o meu dedo mínimo pesará mais do que a mão de meu pai..." E desse modo o reino de Israel foi dividido em RN e RS. Na divisão do reino, o rei perdeu tudo o que era precioso da casa de Deus. E entre os objetos de grande valor que perdeu, achava-se os "escudos de ouro da Casa Real". Os escudos eram para saudar o rei ao entrar e sair de sua casa. Judá era uma nação teocrática. O rei era o representante de Deus. Os escudos de ouro refulgiam a glória do Senhor naqueles momentos significativos e de grandes bênçãos. O rei Roboão não tinha mais os escudos de ouro, na divisão do reino levaram para o outro reino. Mais ele não perdeu tempo, pois os escudos de ouro eram peças importantes no reino. Era símbolo dos reflexos divinos. Pois Roboão desejando os escudos de ouro, mandou fazer escudos de bronze. Aplicou aquela velha filosofia: "EU FAÇO O QUE POSSO, O QUE NÃO POSSO... PACIÊNCIA...". Mas a ordem de Deus era que os escudos fossem de ouro. Naturalmente racionou: "Não tenho ouro, vai bronze mesmo". Muitos, infelizmente usam esta filosofia para, em sua ignorância, tentarem remediar, remendar, fazer um enredo de vida devocional e espiritual, porém ninguém é capaz de enganar a Deus.
 
I – em lugar do ouro de uma culto verdadeiro e racional, preferem colocar o bronze da liturgia: se preocupam com a multiplicação dos elementos da liturgia nos cultos, a organização visual e esquecem da organização invisível, trocam a adoração pela apresentação, o altar vira palco, o louvor apenas música, a unção é confundida com a criatividade malabarista de alguém.
II – SUBSTITUEM O OURO DA ORAÇÃO PELO BRONZE DE PALAVRAS REPETITIVAS DITAS EM CURTOS MOMENTOS DE RITUAIS: Não reservam tempo para orar. Querem testemunhar de Cristo, mas não oram. Intimamente aprovamos os mandamentos do Senhor a respeito da oração, mas a deixamos de lado. Limitamo-nos a repetir as poucas palavras antes das refeições e durante programados na igreja.

III – SUBSTITUIMOS O OURO DA COMUNHÃO PELO BRONZE DO SOCIAL: Não é sem propósito que a igreja dos nossos dias parecem mais um clube de amigos dispostos a passar a mão na cabeça uns dos outros para justificarem negligências e falta de compromissos com Deus e com o seu Reino, preservando-se e recusando corrigir e serem corrigidos no curso de suas vidas como participantes da comunidade cristã. E tal amizade termina em cumplicidade em detrimento do Reino.

IV - EM LUGAR DO OURO SO SERVIÇO PRETENDEM O BRONZE DAS FANTASIAS: Isto é, trabalhos fáceis, que não custam grandes esforços. Com isso largamos à armadura de Deus em meio à batalha, e nos contentamos com qualquer resultado. Há muito crentes irresponsáveis no serviço do Senhor. O bronze do comodismo em vez do ouro do serviço ao Senhor. Estamos dispostos a madrugarmos em busca do dinheiro, estamos dispostos a caminhar quilômetros pra baixa a barriga e melhorar a estética de nosso cormo, porém as vesses com carro na garagem, gasolina no tanque, saúde no corpo deixamos de vir ao culto por uma pequena librina estar a cair, a noite não está pra culto. Criamos uma fantasia de que somos servos de Deus.

V – EM LUGAR DO OURO DA FIDELIDADE NOS DIZIMOS E NAS OFERTAS, ABRAÇAMOS O BRONZE DA DESCULPAS: Para quem não quer dizimar há muitas desculpas: "o dízimo é lei do A T.; eu estou no N.T.; só darei quando sentir no meu coração (o diabo nunca vai deixar você sentir este prazer); se eu der? onde a igreja vai aplicar?". O ouro da adoração é trocado pelo bronze das desculpas e muitas almas gemendo nas trevas, indo para o inferno e você prendendo e roubando o dinheiro de Deus! Muito sangue vai cair sobre seus ombros no Dia do Senhor!
 
VI – EM LUGAR DO OURO DE UMA VIDA DEVOCIONAL PIEDOSA NOS ACOMODAMOS AO BRONZE DE UMA VIDA RELIGIOSA MEDÍOCRE. A religião é o ritual, a obrigação, as cerimônias e tem a ver com o que os outros veem em nós, a devoção é nosso culto racional, nossa adoração sincera, nosso sacrifício vivo e santo, nosso culto interno e tem a ver com o que Deus ver em nós e como nós o vemos.  
CONCLUSÃO - Não pense como Roboão, Fuja desta filosofia que "EU FAÇO O QUE POSSO, O QUE NÃO POSSO... PACIÊNCIA...". Dê para Deus o ouro de sua vida. Precisamos comprar de Deus ouro e vestiduras brancas, para enriquecer nosso coração.

Um Convite para a Renovação e o Arrependimento

Isaías 1:18 -  “Vinde, então, e argüi-me, diz o SENHOR; ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a branca lã.”
Isaias foi um profeta usado por Deus para transmitir uma mensagem de Juízo e livramento para o povo de Deus.

1º Nos capítulos iniciais de seu livro, diz que Deus irá castigar Jerusalém por causa da corrupção espiritual do povo
É interessante frisar aqui que do ponto de vista humano, a nação estava prosperando, mas do ponto de vista divino Deus compara a condição espiritual de seu povo a situação de um campo de batalha devastado. No cap. 1:7 o profeta declara: “A terra de vocês está arrasada, as cidades foram destruídas pelo fogo. Na presença de vocês, os estrangeiros arrasaram a sua terra, e ela ficou em ruínas. Os estrangeiros acabaram com ela”.

2º Este capitulo inicial descrevem a queixa de Deus e a sua insatisfação com a frieza espiritual do povo
A corrupção espiritual do povo era tão grande que Deus responde dizendo-lhes que recusará suas orações, seus sacrifícios e até mesmo o culto, pois não havia sinceridade em seus corações.
- No capitulo 1, versos 15 e 16 Deus diz: “Pelo que, quando estendeis as mãos, escondo de vós os olhos; sim, quando multiplicais as vossas orações, não as ouço, porque as vossas mãos estão cheias de sangue. 16 Lavai-vos, purificai-vos, tirai a maldade de vossos atos de diante dos meus olhos; cessai de fazer o mal.” (Isaías 1:15-16 )
O mais impressionante é que essas pessoas que estavam em pecado, consideravam-se religiosas. Julgavam que suas práticas religiosas estavam sendo aprovadas por Deus, mesmo sem arrependimento continuavam oferecendo sacrifícios, sendo que não compreendiam que SACRIFÍCIOS NADA SIGNIFICAM PARA DEUS SE ESTÃO VINDO DE CORAÇÕES QUE ABRIGAM A CORRUPÇÃO, Deus ao contrário, deseja que o amemos, confiemos nEle e nos afastemos do pecado.

3º Um convite: “Vinde, então, e arrazoemos, diz o SENHOR; ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a branca lã.” 1:18
- O carmesim era uma tinta vermelha, que de tão forte era impossível de ser removida das roupas. 
- Muitos podem achar que as manchas de alguns pecados são permanentes, mas Deus está nos mostrando que irá remove-las de nossas vidas.

Deus faz um convite ao seu povo, para nos mostrar que não precisamos ter uma vida permanentemente manchada pelo pecado, pois há uma outra opção. A palavra de Deus nos assegura que se formos obedientes, Cristo nos perdoará e removerá todas as manchas.
É vem a ser esta a esperança a que se apega o salmista no salmo 51: 1-7. Ele clama a Deus para que seus pecados sejam removidos. Ele declara: 1 Compadece-te de mim, ó Deus, segundo a tua benignidade; e, segundo a multidão das tuas misericórdias, apaga as minhas transgressões. 2 Lava-me completamente da minha iniquidade e purifica-me do meu pecado. 3 Pois eu conheço as minhas transgressões, e o meu pecado está sempre diante de mim. 4 Pequei contra ti, contra ti somente, e fiz o que é mal perante os teus olhos, de maneira que serás tido por justo no teu falar e puro no teu julgar. 5 Eu nasci na iniquidade, e em pecado me concebeu minha mãe. 6 Eis que te comprazes na verdade no íntimo e no recôndito me fazes conhecer a sabedoria. 7 Purifica-me com hissopo, e ficarei limpo; lava-me, e ficarei mais alvo que a neve.

Um grande evangelista Tommy Tenney costumava dizer que “o arrependimento nos prepara para a presença de Deus. Pois é do quebrantamento que nasce a pureza”. Após a quarta-feira de cinzas, muitos vão as igrejas, depois de vários dias envolvidos com um culto a carne, que é o carnaval, mas, isso não é verdadeiro arrependimento, pois não há quebrantamento e estas pessoas voltam a fazer as mesmas coisas de antes. Arrependimento significa: "mudança de posição", e nesse sentido, não há arrependimento sem mudança de comportamentos e atitudes. Não há arrependimento sem quebrantamento. Mais isso não acontece apenas no catolicismo, nossos cultos têm se transformado em quartas-feiras de cinzas.
O livro de Isaias termina no cap. 66 e Deus dizendo: O que imola um boi é como o que comete homicídio; o que sacrifica um cordeiro, como o que quebra o pescoço a um cão; o que oferece uma oblação, como o que oferece sangue de porco; o que queima incenso, como o que bendiz a um ídolo. Como estes escolheram os seus próprios caminhos, e a sua alma se deleita nas suas abominações,  4 assim eu lhes escolherei o infortúnio.


Conclusão: É importante deixar claro que o poder purificador do sangue de Cristo pode remover a mancha mais profunda do pecado. Era certamente isto que João tinha em mente ao dizer que “o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado”. (I jo. 1:7) - Porém, não esqueçamos que purificação começa com arrependimento, com desejo sincero de mudar, de agradar a Deus e viver um verdadeiro cristianismo.

Ilustração. Existe numa catedral em Londres, um famoso quadro de um artista chamado Holman Hut. Nele, o artista representou Jesus à porta. A porta é o coração do homem. No cenário deste quadro é noite e a hora já é avançada

Alguém, entretanto, observou ao artista que a porta não tem qualquer fechadura. O artista então explicou: “Aqui está representada o portão do coração, amigos; e esta é uma porta que só se abre pelo lado de dentro”. Por essa razão que lemos em Ap 2.10: “Se alguém abrir a porta, eu entrarei…”. Ele não arromba portas, mas prefere pedir que abramos voluntariamente nosso coração para que experimentemos o seu poderoso amor e graça.  

ANO NOVO, E UMA NOVA OPORTUNIDADE

 -  Lucas 13.6-9  
Introdução: "É mais tarde do que você imagina". Esta é uma frase que está escrita num relógio nos Alpes italianos... 
É uma advertência a cada pessoa sobre o risco de perder as oportunidades.

Hoje é um dia apropriado para fazermos uma avaliação da nossa vida, para fazermos uma correção em nossos rumos...  Repita isto depois de mim: "Este Ano Novo é uma nova oportunidade para eu começar de novo".
- Pois ouça isto: Deus agendou uma segunda chance para você hoje!
Esta é a ideia básica desta parábola contada por Jesus.
- Lemos no v.7 da história, que por 3 anos, o homem vinha buscar frutos na figueira e não achava nenhum.
- Então, mostra o v.8, que ele decidiu dar para aquele pé de figos, uma nova oportunidade.

Ah! Nós podemos aprender quatro lições fundamentais nesta parábola.

1- TEMOS UMA NOVA OPORTUNIDADE PARA CORRESPONDER ÀS EXPECTATIVAS DE DEUS - O v.6 revela que havia uma expectativa no coração daquele dono de terra: ele tinha uma figueira plantada na vinha, logo, contava colher os seus frutos. A expectativa de Deus a nosso respeito é produzamos frutos.
E é completamente justo que esse homem esperasse frutos naquela figueira, porque é natural que uma figueira produza figos!
- A figueira é uma espécie de arbusto de boa adaptação à diversas condições de clima e de solo.
- Uma só figueira, produz em torno de 8 a 10 kg de figos verdes por safra!
Mas, ocorria uma anormalidade com a figueira aqui: por três anos aquele agricultor procurava frutos nela e voltava decepcionado para casa, porque não havia frutos para colher.

- Amado, quando Deus olha para a sua vida, o que Ele está vendo? Ele está vendo o fruto do seu labor?
- Amado: Deus tem sonhos com você, Ele tem propósitos, Ele tem expectativas a seu respeito.
- Mas será que estas expectativas de Deus, estão sendo correspondidas por nós?

2- TEMOS UMA NOVA OPORTUNIDADE PARA CORRESPONDER AOS NOSSOS PRIVILÉGIOS - Veja que interessante o que lemos no v.6: uma figueira plantada numa vinha - figueira privilegiada essa! Numa plantação de uvas, que é uma fruta nobre
- os mais excelentes vinhos dependem de uvas de boa qualidade! Pois uma vinha requer cuidados especiais, o solo precisa ser muito bom, o clima agradável, chuva em períodos regulares, até a velocidade do vento precisa ser bem dosada.

- ele havia sido plantado numa terra fértil, numa terra tão boa que proporcionava o cultivo de uvas...
- ou seja, a figueira tinha tudo para produzir fruto - todos os privilégios... mas ainda assim, ela não dava fruto...

Amados, Lucas no capítulo 12, v.48: "Será pedido muito de quem recebe muito; e, daquele a quem muito é dado, muito mais será pedido".
A Bíblia está dizendo que cada pessoa será julgada de acordo com as oportunidades que recebeu.
Eu preciso lhe fazer essa pergunta: o que você tá fazendo com todas as bênçãos e com todos os privilégios de Deus?

3- TEMOS UMA NOVA OPORTUNIDADE E TAMBÉM NOVOS RECURSOS - lemos no v.8, que haverá um novo investimento na figueira. Ela será poupada, terá o seu solo afofado, receberá adubo; nada irá faltar à esta figueira - ela receberá atenção especial.
- Amados, nós temos uma nova oportunidade e também novos recursos de Deus.
- Veja como Deus é misericordioso: Deus vai continuar investindo em você. Deus vai tomar providências.

4- TEMOS UMA NOVA OPORTUNIDADE QUE NÃO PODE SER NEGLIGENCIADA
Qualquer pessoa que tenha uma chácarazinha, teria cortado logo aquela planta inútil, que não dava frutos, que não correspondia à sua natureza de árvore frutífera.
Deus tá dando uma oportunidade decisiva, que não pode ser negligenciada... é questão de frutificar ou frutificar!
- Por que lemos aqui no v.9, que caso contrário, aí então, se a figueira não mudar sua realidade, se a figueira não produzir fruto... vai virar lenha. (pergunte à pessoa ao lado: "Você não quer virar lenha, quer?").
- Amado, se Deus não encontrar obediência na sua vida, se Ele não encontrar santidade, se esse fruto não for achado em você, será a separação de Deus para sempre... você será cortado e lançado fora.
- Ouça: ninguém deve brincar com as oportunidades dadas por Deus...

Conclusão: Como a figueira da parábola contada por Jesus, nós acabamos de receber mais uma oportunidade de Deus.
Vamos corresponder às expectativas de Deus! Neste ano, vamos fincar nossos pés na presença de Deus e viver de maneira frutífera! 

Um Encontro com Deus na Fornalha

 - DANIEL 3. 19-30
Introdução
  • Todos nós gostamos de vir à igreja para termos encontros com Deus. Estes encontros são agradáveis porque o cenário de comunhão da Igreja é por si só convidativo. O ambiente sagrado, os hinos, os cânticos espirituais, o clima de alegria... Tudo favorece um encontro com Deus.
  • Mas, o que fazer quando Deus marca um encontro conosco nos lugares onde nós não gostaríamos de estar?
  • Sadraque, Mesaque e Abdênego Passa por isso.
  • Daniel 1. 17a, diz que Deus havia concedido a estes homens “conhecimento e inteligência em toda cultura e sabedoria”. Em razão disso, eles migram da condição de escravos para a condição de administradores do reino.
  • O rei manda fazer uma gigantesca imagem de ouro e ordena que todos os seus administradores venham à consagração da imagem e se prostrem perante ela. Eles se recusam a adorar o ídolo e são denunciados ao rei. O rei os interroga e lhes diz: “se vocês não adorarem a imagem... serão lançados na fornalha de fogo ardente. E quem é o deus que vos poderá livrar das minhas mãos? ” (Daniel 3. 15).
  • Os três dão uma resposta direta e sem rodeios: “Quanto a isto não necessitamos de te responder. Se o nosso Deus, a quem servimos, quer livrar-nos ele nos livrará da fornalha de fogo ardente e das tuas mãos, ó rei” (Daniel 3. 16-17).

1. Eles escolhem enfrentar a morte em vez de adorar o ídolo.
  • Tudo o que eles teriam que fazer seria dobrar os joelhos para adorar as imagens de ouro e eles salvariam suas vidas e seriam reintegrados às suas posições de poder, honra e status. Eles não fizeram.
  • Furioso, o rei ordenou que eles fossem lançados na fornalha, que fôra aquecida muito além do normal
  • Os três estavam caminhando no meio do fogo e havia um quarto homem semelhante ao Filho de Deus
  • A fornalha, que parecia ser o lugar que daria fim às suas vidas acabou se tornando o lugar onde eles tiveram um encontro com Deus.

2. Deus decide livrá-los na fornalha e não da fornalha.
  • O rei ordenou que os três homens saíssem da fornalha, elogiou-os por sua coragem e bravura, e os promoveu (Daniel 3. 26-28).
  • Entrar na fornalha foi o maior acontecimento da vida daqueles homens porque Deus estava lá.
  • Deus transformou a derrota em vitória.
  • Deus disse a eles o mesmo que está dizendo a você agora: “Eu tenho um encontro marcado com você na fornalha de fogo ardente”.

3. Quantas vezes você é desafiado a entrar na fornalha? Quais são as fornalhas de sua vida hoje?
  • A fornalha representa o alto preço que você está pagando pelas decisões corretas que você tomou.
  • A fornalha é a escolha que você tem que fazer entre o certo e o errado.
  • Neste caso, cada um de nós vive a sua própria fornalha.
  • Qual a sua fornalha? Qual o preço que você está pagando por ser honesto e não abrir mão de sua fé?
  • Somos tentados todos os dias a nos dobrar diante da grande estátua não se dobre.

Conclusão:
  • No verso 27 diz que “ajuntaram-se todos e viram que o fogo não teve poder algum sobre os homens; nem foram chamuscados os cabelos da sua cabeça, nem os seus mantos se mudaram, nem cheiro de fogo passou sobre eles” (Daniel 3. 27). Você não será queimado.
  • Porque eles confiaram em Deus e o próprio Deus veio ao seu encontro no lugar da provação.
  • Não tenha medo de ser lançado na fornalha de fogo ardente porque Deus virá ao seu encontro.
  • Se você está na fornalha, não se desespere... Você não vê, mas outras pessoas a sua volta estão vendo que você não está sozinho porque Jesus, “o quarto homem da fornalha ardente” está ao seu lado.
  • Todas as vezes que experimentamos fracassos, Jesus – o quarto homem da fornalha – vem ao nosso encontro e os nossos piores fracassos se convertem nas maiores vitórias.


O que você vai fazer com a terra que lhe jogam nas costas?

Um dia, o cavalo de um camponês caiu num poço. Não chegou a se ferir, mas não podia sair dali por conta própria. Por isso o animal chorou fortemente durante horas, enquanto o camponês pensava no que fazer.   
Finalmente, o camponês tomou uma decisão cruel: concluiu que já que o cavalo estava muito velho e que o poço estava mesmo seco, precisaria ser tapado de alguma forma. Portanto, não valia a pena se esforçar para tirar o cavalo de dentro do poço. Ao contrário, chamou seus vizinhos para ajudá-lo a enterrar vivo o animal.
Cada um deles pegou uma pá e começou a jogar terra dentro do poço. O cavalo não tardou a se dar conta do que estavam fazendo com ele e chorou desesperadamente.
Porém, para surpresa de todos, o cavalo aquietou-se depois de umas quantas pás de terra que levou. O camponês finalmente olhou para o fundo do poço e se surpreendeu com o que viu.
A cada pá de terra que caía sobre suas costas o cavalo a sacudia, dando um passo sobre esta mesma terra que caía ao chão. Assim, em pouco tempo, todos viram como o cavalo conseguiu chegar até a boca do poço, passar por cima da borda e sair dali trotando.
A vida vai te jogar muita terra nas costas. Principalmente se você já estiver dentro de um poço. O segredo para sair do poço é sacudir a terra que se leva nas costas e dar um passo sobre ela.
Cada um de nossos problemas é um degrau que nos conduz para cima. Podemos sair dos mais profundos buracos se não nos dermos por vencidos. Use a terra que te jogam para seguir adiante!
Recorde-se das cinco regras para ser feliz:
1- Liberte o seu coração do ódio.
2- Liberte a sua mente das preocupações.
3- Simplifique a sua vida.
4- Dê mais e espere menos.
5- Ame mais a Deus aceite a terra que lhe jogam. Ela pode ser a solução, não o problema.
Lembre-se é graça divina começar bem. Graça maior persistir na caminhada certa. Mas a graça das graças é não desistir nunca.
A decepção é gerada quando a perspectiva e a esperança são deslocadas para o alvo e lugar errado. Não espere nas pessoas, espere em Deus, volte o seu foco para o Senhor. Lendo a parábola deste cavalo lembrei do que aconteceu com José do Egito, certamente sua decepção com os que lhe cercavam teria o destruído se ele não houvesse focado suas perspectivas em Deus. Gênesis 37.4-36. Não há nada de errado em esperar ser amado por aqueles que deveriam, por ter razão para tal. A grande questão é que o ser humano é sempre tendencioso a fazer o que não deveria e não fazer o que deveria. Isso desde o Jardim do Edem, por tanto sacuda a poeira das costas, pisoteie a terra e saia do buraco, pois chorar por que alguém quer te enterrar vivo não vai adiantar muita coisa. Confie em Deus ele é que te dar forças pra sair da cova. 

Deus Abençoe: Pr. Joel Medeiros
Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget