- um vaso de honra -

um vaso de honra
Texto: II Tm. 2.14-26 Introdução: Para fazer seus milagres, Deus precisa de vasos disponíveis. Foi assim na multiplicação do azeite da viúva (II Rs.4) e na transformação da água em vinho (João 2). Deus pode fazer maravilhas quando nos apresentamos a ele como vasos disponíveis para a sua obra (At.9.15).  

1- O material do vaso. Enquanto formos inflexíveis como a pedra, não poderemos ser usados. Ser inflexível é não perdoar, não aceitar correção, não se arrepender, não reconhecer o erro, não chorar, não querer mudar. Sejamos flexíveis como o barro nas mãos do oleiro (Jr.18.1-6). A lama não serve, pois representa instabilidade, insegurança e contaminação. O ouro e a prata serão muito úteis, mas terão que passar pelo fogo das tribulações para se tornarem flexíveis.  

2- A condição do vaso. O vaso precisa estar limpo, por dentro e por fora. Aqui estão incluídos os pecados visíveis e os ocultos, do corpo e da alma, os que o homem vê e os que só Deus vê. 
 
3- O conteúdo do vaso. Na bíblia encontramos vasos contendo água (João 2), vinho (João 2), perfume (Lc.7.37), azeite (II Rs.4), maná (Êx.16.33), tesouro (II Cor.4.7), vinagre (João 19.29), etc. Precisamos nos livrar do conteúdo maligno, o pecado guardado. Precisamos nos encher da palavra de Deus (Col.3.16) e do Espírito Santo (Ef.5.18). 
 
4- A utilidade do vaso. Deus não precisa de vasos ornamentais. Não devemos ser apenas receptores, mas recipientes, que recebem, guardam, conservam e compartilham na hora certa. Precisamos compartilhar a palavra, a fé, o amor, a unção, etc.  

Conclusão: Coloque-se nas mãos do oleiro para que ele o transforme, limpe e use para a sua glória.

Anúncio