DONS DA SALVAÇÃO

Romanos 11:29.

Introdução: A palavra Dom tem o sentido de presente, dádiva donativo. Dom de Deus é dádiva gratuita, favor imerecido por Deus aos homens. Com a conversão a Jesus Cristo, o cristão passa a ter o direito a todos os dons, o Dom de Deus, o Dom de Cristo, o Dom do Pai, o Dom do Espírito, os Dons Ministeriais de Cristo, etc. O objetivo desta lição é estudarmos especificamente: O Dom de Deus (a vida eterna), O Dom de Cristo (a fé salvadora, a graça), O Dom do Pai – O Espírito Santo (que é também conhecido como a promessa do Pai (At-1:4)).

1 – O Dom de Deus. É a vida eterna, que é oferecido a todos os homens, conforme está escrito em (Jo. 3:16, I Tm. 2:4). São Paulo afirma que, “... o Dom gratuito de Deus é a vida eterna” (Rm. 6:23).
E o apóstolo João define assim: “a vida eterna é esta que te conheçam a ti só por único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste” (Jo. 17:3).
É certo que a vida eterna só nos é dada por intermédio de Jesus, conforme está assim escrito: “...quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna... porque como o pai tem a vida em si mesmo, assim deu também ao filho ter a vida em si mesmo” (Jo. 5:24, 26).
Ainda afirma o apóstolo João: O testemunho de Deus é este: “...que Deus nos deu a vida eterna; e esta vida está em seu filho. Quem tem o filho tem a vida, quem não tem o filho de Deus, não tem a vida“, (1 Jo. 5:11,12) , “...e no que é verdadeiro estamos, isto é , em seu filho Jesus Cristo. Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna” (1 Jo - 5:20).
Quando Deus nos deu Jesus Cristo, o alvo era nos dar a vida eterna, (Jo. 3:16), “...para que todo que nele crê tenha a vida eterna”.

2 – O Dom de Cristo. É a fé salvadora, por meio da qual o crente genuíno recebe de graça a salvação e o dom da vida eterna. Isto se dá porque Cristo Jesus já pagou o preço cabal e suficiente da nossa redenção (Ef. 2:1, 10; 1Co. 6:20; 1Pe. 1:18, 19; At. 20:28; G. 4:4, 5; e Ap. 5:9). A graça salvadora de Deus é concedida ao homem segundo a proporção do Dom de Cristo, através da fé salvadora, como está assim escrito: “...de graça sois salvos por meio da fé, isto não vem de vós; é Dom de Deus...” (Ef. 2:8, 9). “...mas a graça foi dada a cada um de nós segundo a medida do Dom de Cristo” (Ef. 4:7).

3 - O Dom do Pai. É o Espírito Santo que só é concedido aos que creram, nasceram de novo, isto é, aos filhos de Deus, (Lc. 24:49; Jo. 14:17, 26; At. 1:4). O Dom do pai é a presença permanente do Espírito Santo nos corações dos que já creram genuinamente em Jesus Cristo, (Ef. 1:13, 14; Rm. 8:9). É por esta razão que São Paulo, afirmou: “...mas recebeste o Espírito de adoção de filhos, pelo qual clamamos: Aba, Pai”, e outra vez diz:”... e porque sois filhos, Deus (o pai) enviou aos nossos corações o Espírito de seu filho, que clama, Aba, pai”(Gl. 4:6). Assim verificamos que o Dom do pai, ou promessa do pai, quando disse “... e Eu (Jesus) rogarei ao pai, e Ele vos dará outro consolador (O Espírito Santo), para que fique convosco para sempre” (Jo. 14:16).

Conclusão: Agora como já vimos no estudo acima, a vida eterna, como Dom de Deus; a fé salvadora pela graça, como Dom de Cristo, e o Espírito Santo como Dom do pai a seus filhos como você vê a relação desses dons e o batismo cristão, que Jesus ordenou em (Mt. 28:19), “...ide por todo mundo, farei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo...”. A classe deve discutir a correlação entre o batismo, a trindade e dons que operam para a salvação.

2 comentários:

  1. Oi, eu gostaria que me explicasse uma coisa...
    Onde se baseia a doutrina da igreja de Cristo: "Salvo uma vez, salvo para sempre."
    Cite referências, por favor.

    ResponderExcluir
  2. Veja Irmã Karla: TEXTO BÁSICO: ”Na verdade, na verdade vos digo: Quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou tem a vida eterna e não entra em condenação, mas já passou da morte para a vida“. (Jo – 5:24).

    Introdução: O termo salvação é muito abrangente e pode ser aplicada a mais diversa situação da vida humana que exijam escape. No âmbito da vida espiritual, que se inicia com a vida terrena e se projeta no estado eterno após a morte, o homem também carece ser salvo.

    1. O Homem é Eterno. Assim como Deus é eterno, ele criou o homem também eterno (Gn 1: 26). O homem é constituído de matéria e espírito. A carne torna pó, mas o espírito viverá para sempre. A eternidade humana terá 02 destinos: a) Mediante conversão e aceitação do sacrifício de Cristo, pelo processo do novo nascimento, o homem terá o seu nome escrito no livro da vida e do cordeiro. (Lc 10: 20; Ap 3: 5; Fp 4: 3). Tornando-se participante da Gloria e da presença de Deus por toda eternidade. b) Mediante a rejeição ao sacrifício de Cristo, o homem pecador terá uma eternidade distante da presença de Deus, marcada pela vergonha e pelo horror eterno. (Dt 12: 2).

    2. A Eternidade da Salvação. A salvação da condenação eterna é concedida ao cristão pela graça preciosa de Deus, e não pelo merecimento de obras praticadas (Ef 2:8, 9). a) A salvação eterna é assegurada apenas ao cristão convicto. Ser membro de uma igreja, ser assíduo aos cultos, exercer cargos ou ser dizimista, não asseguram a salvação eterna, convicções do salvo: - Foi perdoado (At 3:19; 10:43). - Foi Justificado (Rm 5:1). - Foi feito filho de Deus (Jo 1:12; Gl 3:26). - Participa da natureza divina (II Pe 1:4). a) A perenidade da salvação assegurada. Admitir que o verdadeiro cristão perde a sua salvação é negar a essência da doutrina cristã, e ao mesmo tempo admitir que o diabo é mais poderoso que o senhor. Isto seria absurdo, uma aberração!. O que assegura a salvação eterna do crente: - Cristo deu (Jo 10:28) - O pai autenticou (Jo 10:29) - O selo do Espírito Santo (Ef 1:13; Rm 8:16). Jesus Cristo declarou que todo poder foi dado no céu e na terra. Com esta declaração ele estava dizendo que vencerá não só a morte, mas também o inferno, o diabo e suas hostes, o mundo e seus sistemas corrompidos. Por isso, força nenhuma será capaz de arrancar do cristão essa segurança que só o Senhor Jesus pode dar. “Em todas estas coisas, somos mais do que vencedores”. (Rm 8:37).

    3. O Desafio do Salvo. O cristão é salvo para que? Para nada?. Se a salvação é só para garantir o indivíduo que ele vai para o céu e mais nada, então ao aceitar a Cristo, o convertido deveria ser imediatamente arrebatado. Mas não é assim. Jesus deseja que permaneçamos no mundo (Jo-17:15), para viver de modo que o seu nome seja glorificado e o seu reino implantado na terra.

    Conclusão. A alegria da salvação é para ser desfrutada na terra. O cristão deve manter – se em comunhão com o Senhor, nunca se deixar levar pelas ciladas de satanás, mas desenvolver a salvação eterna que uma vez lhe foi concedida pela fé em Jesus.

    ResponderExcluir

Seu comentário é bem vindo

Anúncio