As cinco pedras

1º Samuel 17: 39-40

O jovem pastor de ovelhas não era um guerreiro. Mas quando ouviu as provocações do gigante, ficou chocado que ninguém se oferecesse para enfrentá-lo. É assim que Davi salta para as páginas da fama na Bíblia. Indignado, ele vai ao riacho, apanha cinco pedras e vai enfrentar a fera. Era como se cada pedra representasse uma coisa boa, como coragem, convicção, competência, confiança e conquista.

1. A pedra da CORAGEM, Chegou-se para o rei Saul e lhe disse: "Ninguém deve ficar com o coração abatido por causa desse filisteu; teu servo irá e lutará com ele" (v. 32).

Às vezes, a gente fica impressionado com o tamanho dos nossos Golias, e fica se encolhendo de medo. Davi parecia não estar com medo. Não era porque ele era ingênuo, era por que ele tinha uma outra visão do problema. Os soldados de Israel se comparavam com o gigante e se intimidavam. Davi comparava o poder do gigante com o poder de Deus, e foi daí que extraiu coragem.

2. A pedra da CONVICÇÃO. "O Senhor que me livrou das garras do leão e das garras do urso me livrará das mãos desse filisteu" (v. 37). Davi não pressupôs que ele mesmo tivesse alguma força, mas atribuiu ao Senhor suas vitórias.

Sem convicção, uma pessoa se encolhe, se esconde, empalidece, enfraquece, esmorece, estremece e esquece o que deveria fazer; mas se ela tem convicção, ela reúne forças, vai à luta e vence o inimigo.

3. A pedra da COMPETÊNCIA. O rei Saul quis ajudar Davi a se preparar para a luta e colocou nele armas reluzentes, bonitas, caras. Mas a cena ficou ridícula, e Davi devolveu as armas de Saul, dizendo: "Não consigo andar com isto, pois não estou acostumado" (v. 39). Você só vai conseguir utilizar as armas que Deus lhe dá, se você estiver acostumado com elas.

A Bíblia é espada de dois gumes, poderosa como nem uma outra arma, mas infelizmente há irmãos que não estão acostumados a manejá-la.

4. A pedra da CONFIANÇA. "Você vem contra mim com espada, com lança e com dardos, mas eu vou contra você em nome do Senhor dos Exércitos, o Deus dos exércitos de Israel, a quem você desafiou" (v. 45).

Quando vamos em nome de Deus, somos "mais que vencedores". O gigante achava que entendia tudo de lutas e combates, mas Davi foi ao encontro dele "em nome do Senhor dos Exércitos". Em Provérbios 21.31 lemos: "...o cavalo prepara-se para o dia da batalha, mas do Senhor vem a vitória".

5. A pedra da CONQUISTA. Foi uma pedra só; era a pedra da conquista. O gigante caiu fazendo muito barulho na queda e foi derrotado (v. 49).

O gigante perdeu porque zombou de Deus, e de Deus ninguém deve zombar.

Ele é Senhor e dominador sobre tudo e não aceita ser escarnecido. A Bíblia deixa claro isso quando diz: "Horrenda coisa é cair nas mãos do Deus vivo" (He 10.31).

Conclusão

É imensa a tentação de pensar que a vitória é produto do próprio braço do homem. Como na história do pica-pau que se pôs a dar bicadas no tronco de uma árvore. Concentrou toda a sua força no bico e começou a trabalhar. Ao mesmo tempo em que fazia isso, uma forte tempestade se aproximava. Chuva, trovões, relâmpagos. Um raio caiu e derrubou a árvore. Vendo aquilo, o pica-pau primeiro recuou assustado. Depois, se empinou e foi, fanfarrão, dizer aos amigos: — Vocês viram como eu sou forte?

Davi não diria isso; na verdade, o que ele disse foi: "...eu sou pobre e necessitado; contudo o Senhor cuida de mim. Tu és o meu auxílio e o meu libertador; não te detenhas, ó meu Deus" (Sl 40.17).

Anúncio