TRÊS FORMAS DE ADORAÇÃO (Jo 4. 13- 26).

As duas primeiras precisam ser evitadas e a terceira precisa ser praticada

I. ADORAR EM IGNORÂNCIA - v. 22a: "Vós, os samaritanos, adorais o que não conheceis..." 1. Esta era a forma de adoração dos Samaritanos a) Sua origem (2 Re 17.24-34). b) A mulher estava presa em questões periféricas do culto samaritano. 2. Muitos hoje ainda adoram em ignorânica. a) não entendem a missão tríplice da igreja. b) Quando não distinguem as formas de exaltar a Deus: Ações de graças, Louvor, Adoração c) Quando as letras das músicas não condizem com a música. d) Quando os rítmos estimulam a carne. e) Quando a seleção musical é mal feita. 3. É preciso conhecer a Deus para não adorá-lo em ignorância. II. ADORAR EM HIPOCRISIA - v. 22b: "nós adoramos o que conhecemos, pois a salvação vem dos judeus". 1. Por que Jesus disse isso? Talvez porque o libertador prometido a todo o Israel (tanto para Judeus como para Samaritanos) viria da tribo de Judá, (Gn 49.10); por isso do Judeus – dos descendentes de Judá viria a Salvação para Israel e para o mundo inteiro. 2. Entretanto, outras referências denúncia o culto judaico. a) Como e com que? - Mq 6.6-8 b) A inutilidade do holocausto. Is 1.11 3. Jesus condenava a hipocrisia dos fariseus. 4. Deus reprova o culto hipócrita – reprovou Caim - Gn 4.1-7

a) Caim era hipócrita: · Não era bom - suas obras eram más - I João 3.12

b) O culto de Caim, culto que não se oferece o melhor. ( Gn 4.2 ). Achou que o seu culto tinha

c) valor em si mesmo. Baseou no esforço humano. d) Quis competir, ao invés de Caim olhar para cima (Hb 12:1) olhou para os lados. e) Culto sem arrependimento! Ao invés de arrepender-se ante a reprovação V.5b " Irou-se fortemente, e descaiu-lhe o seu semblante". 5. Deus aprova o culto sem hipocrisia como o de Abel: a) O que traz o melhor ( v. 4 ): "dos primogênitos da sua ovelha, e da sua gordura". b) Antes do seu culto, ele foi aceito como pessoa. (v.4: e atentou o SENHOR para Abel e para a sua oferta.) 6. Muitos hoje ainda adoram em Hipocrisia. a) Quando vêem o louvor somente como uma mercadoria da indústria cultural seguindo a exigência de mercado. "profanação" b) Quando fazemos teatralmente algo parecido com louvor e adoração para satisfazer o público alvo. "imitação" c) Quando fingimos ser o que não somos, como se estivéssemos representando ser melhor do que, na realidade somos. Gostaríamos de ser muito bons como não conseguimos fingimos ser. III. ADORAR EM ESPÍRITO E EM VERDADE. vv. 23,24: 1. Tendo Deus como Pai 2. Sendo achado pelo Pai 3. Adorando em Espírito a) Implicações: Espírito é o elemento da essência do ser, é nesse sentido na parte mais elevada da existência do ser humano; é neste nível que o homem pode ter comunhão com a Divindade. Rm 8.16: "O Espírito mesmo testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus". 1 Co 2.14-16 b) O espírito é imaterial e incorpóreo, Lc 24.39: "...um espírito não tem carne nem ossos..." c) Por isso, para nós assimilarmos Deus a Bíblia usa antropomorfismo, (Crença que atribui formas e atributos humanos a entidades abstratas ou não humana), zoomorfismo (Se o antropomorfismo atribui características humanas a Deus, o zoomorfismo atribui características animais a Deus (ou a outros). São maneiras expressivas de salientar certos atos e qualidades do Senhor. O salmista disse: "[Deus] Cobrir-te-á com as suas penas, sob suas asas estarás seguro". (Sl. 91:4).), antropopatismo (forma metafórica de atribuir a DEUS sentimentos humanos para facilitar ao homem a compreensão de Deus). d) O espírito é invisível por ser imaterial: Jo 1.18: Deus nunca foi visto por alguém. O Filho unigênito, que está no seio do Pai, este o fez conhecer. · Cl 1.15: Jesus é o é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação. e) Paulo adorou: 1 Tm 1.17: 6.16: 4. Adorando em verdade O que é a verdade – três concepções: a) Para os latinos verdade é veritas: refere-se à precisão rigor de um relato, no qual se diz com detalhes e precisão e fidelidade ao que aconteceu. A linguagem enuncia os fatos reais. Portanto, a verdade se refere aos fatos que foram. b) Para os gregos, verdade é aletheia: significa não-oculto, não escondido, não-dissimulado. O verdadeiro é o que se opõe ao falso, pseudos, que é o encoberto, o escondido, o disfarçado, o que parece ser e não é como parece. Assim, verdade para os gregos se refere às coisas que são. c) Para os israelitas, verdade é emunah e signfica confiança. Nessa concepção são as pessoas e é Deus quem são verdadeiros. Um Deus verdadeiro que é. 5. Como adorar a Deus em espírito em verdade? a) Sabendo que o louvor e uma das dimensões da missão tríplice da igreja. (Adorar, edificar, evangelizar). O louvor pode ser usado como uma forma. b) Distinguindo as formas de exaltar a Deus, na nossa vida devocional: (testemunho pessoal, testemunho verbal, devoção interior). c) Não somente cantando, mas interpretando as letras das músicas. d) Fazendo uma seleção musical correta.

Anúncio