OS INVISÍVEIS


Pode ser que sejamos os que preferem ocupar as cadeiras do fundo em nossas igrejas, ou essas que estão perto da porta para fugir assim que termina o culto…
Poder ser que na hora da mensagem, estamos pensando em quem deveria estar escutando aquela palavra, ou ainda que sejamos os que temos a vida mais ocupada do que os outros para se envolver em algum ministério.
Talvez sejamos aqueles que há tanto tempo estamos na mesma igreja, que na verdade não há nada novo debaixo do sol, e muito pouco para se aprender. É que temos muitos anos de crentes e de experiência ….
Somos os do fundo da igreja? Somos os invisíveis de sempre preferimos a humildade? Somos definitivamente, OS MORNOS?
Sejam praticantes da palavra, e não apenas ouvintes, enganando-se a si mesmos.
Aquele que ouve a palavra, mas não a põe em prática, é semelhante a um homem que olha a sua face num espelho e, depois de olhar para si mesmo, sai e logo esquece a sua aparência.
Mas o homem que observa atentamente a lei perfeita que traz a liberdade, e persevera na prática dessa lei, não esquecendo o que ouviu mas praticando-o, será feliz naquilo que fizer. Tiago 1:22-25
Ser um dos invisíveis é simplesmente um engano, porque a vida cristã é radical: é dos “fazedores”. Os ouvintes vivem a mentira de ver-se em um reflexo, sem ser nem viver a plenitude da obra que Deus nos tem preparada. Para que escutamos se não vamos ouvir a voz de Deus Em sua palavra? Nos enganamos de que o ir à igreja, levantar as mãos ou fazer atos de presença é ser cristão. Mas vamos desmascarar-nos: nós estamos enganados…e somente de ouvir nada tem ficado em nosso coração.
A atitude de “fazedor” é a de “olhar atentamente na perfeita lei, no mandamento com intuito de obedece-lo”; examinando o interior e morrendo para o eu a cada momento, ruminando com sua inteligência e deixando atuar o Espírito para compreender aquilo que resulta inacessível para pequenez humana.
É a atitude comprometida e sacrificada de “perseverar” naquilo que escutou e reconhecendo que deve fazer a obra de DEUS, abandonando a si mesmo para entregar-se nas mãos do Criador para que faça o que tem que ser feito da forma que deve ser.
E “não se permita esquecer”, refletindo diariamente em sua obra, buscando agradar ao Senhor e glorifica-lo com sua vida.

Sem dúvidas a invisibilidade do ouvidor é mais cômoda. Mas não fomos feitos para isso. DEUS nos deu dons, capacidades, inteligência, recursos, para colocarmos a sua disposição e sermos grandes fazedores e bem aventurados. Sejamos crentes radicais e visíveis. Vivamos o reino!
Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget