Quatro lições de Querite


(I Reis 17.1-7)
Não podemos deixar o obscuro cenário de Querite, com seu riacho agora seco, e o jovem profeta sendo transformado num homem de Deus sem entendermos as verdades reveladas ali.
1º - Precisamos desejar ser deixados de lado tanto quanto ser usados. É preciso querer estar separado para poder ouvir a voz de Deus com clareza, longe da cacofonia da vida diária, longe dos nossos negócios, planos e desejos. Precisamos aprender o profundo e duradouro valor da vida reclusa, do está só com Deus. A solidão é amiga intima da reflexão.
2º - A direção de Deus inclui a provisão de Deus. Deus diz: “Vá para o riacho. Eu vou sustentá-lo”. Vance Havner em seu livro Já é tarde diz: “Às vezes nos dedicamos a uma rotina enfadonha, tão monótona quanto plantar algodão ano após ano… então Deus manda o gorgulho do algodão. Ele nos tira da nossa rotina e, então, precisamos encontrar novas maneiras de viver. Revezes financeiros, grandes privações, doenças, perda de posições – através dos problemas, quantas pessoas são transformadas em melhores agricultores e levadas a produzir melhores frutos!”.
Quando Deus dirige, Ele provê. Foi isso que sustentou Elias em sua experiência no campo de treinamento.
Precisamos aprender a confiar em Deus dia após dia. Você precisa aprender a viver o hoje. Você não pode viver o amanhã, hoje…
Você percebeu que Deus nunca falou qual seria o passo seguinte antes de Elias dar o passo anterior? Deus disse ao profeta para ir até Acabe. Quando Elias chegou ao palácio, o Senhor lhe contou o que deveria dizer.
- Depois de ter falado, Deus disse: “Agora, vá para o riacho”. Ele não disse o que aconteceria em Querite; falou apenas: “Vá para o riacho e se esconda”. Elias não sabia nada sobre o futuro, mas tinha a promessa de Deus: “Eu te sustentarei”.

4º - Um riacho seco normalmente é sinal de prazer – e nunca do desapontamento – de Deus em relação a nossa vida. O riacho seco normalmente é sinal de aceitação de Deus, não de seu julgamento.
Bem no topo de sua carreira, quando Abraão estava ficando conhecido como um grande homem de Deus, o Senhor lhe diz: “Pegue Isaque, ponha-o no altar e mate-o”. Eu diria que isso foi o riacho seco de Abraão, não é mesmo? Isso mostra que Deus estava feliz com seu servo Abraão.

Conclusão: Quantos de nós estamos dispostos a continuarmos na obediência a Deus quando o Riacho seca? Ou míngua, quantos de nós estamos prontos a não murmurar quando o nosso alimento é servido no bico de uma ave imunda? Quantos de nós estamos dispostos a partilhar a pobreza da viúva? – Na escola de profetas de Deus, as lições não vêm no reteté, vem na escanceis de água de um córrego, no bico de um corvo e na pobreza de uma viúva.   
Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget