As Lições aprendidas com a Torre de Babel



 - Texto: Gênesis 11:1-9
Introdução: O relato da torre de Babel é o evento final registrado em Gênesis antes de sermos informados de Abraão e o plano de Deus por meio dele.

A promessa feita a Abraão foi um ponto fundamental no esquema da redenção. No entanto, a história de Babel não foi incluída no Gênesis simplesmente como uma questão de registro histórico.

Ela nos ensina algumas lições importantes sobre a unidade e a apostasia.
1. Unidade e harmonia não significam nada se nós não estivermos trabalhando para o propósito de Deus
A. Essas pessoas estavam unidas, mas Deus dividiu-os (v. 8) - nem toda unidade é desejada e aprovada por Deus (v. 1) (1 Coríntios 5:1-2, 7, 13; 2 Tessalonicenses 3:6)
B. Eles estavam unidos na realização de um propósito específico - o problema é que era o propósito do homem (v. 4); devemos estar unidos na realização do propósito de Deus (Efésios 4:3, 13-16)
C. A unidade deles era evidente por "uma só língua e um só idioma" (v. 1) - nós também devemos "falar a mesma coisa" (1 Coríntios 1:10; 4:17); no entanto, isso não significa que devemos ficar em silêncio sobre questões de divergência doutrinária (Efésios 5: 6-11)
D. A unidade deve ser baseada na Palavra de Deus (João 17:20-21) - "todo o conselho" de Sua palavra (Atos 20:27)
2. O que parece bom para nós pode não ser bom
A. Eles tinham aparentemente um bom e nobre objetivo (v 3-4.) - No entanto, o que parece bom para o homem nem sempre está certo (Provérbios 14:12; Jeremias 10:23); deve estar de acordo com a vontade de Deus (Colossenses 3:17)
B. Não importa quão lógico possa parecer para nós - exemplo: "evangelho social" (Isaías 55:8-11)
C. Não importa o quão "bem" pode ser feito - exemplo: o institucionalismo e etc.
D. As boas obras são definidas nas Escrituras (2 Timóteo 3:16-17) - se uma coisa não está autorizada nas Escrituras, não pode ser classificado como um "bom trabalho"
3. Nós nunca vamos chegar a Deus ou ao céu através de nossos próprios meios.
A. O objetivo deles era alcançar o céu (v. 4) - mas, mesmo depois de terem feito, Deus teve que descer a eles (v. 5)
B. O homem inventou suas próprias maneiras de alcançar o céu (exemplo: boas obras de caridade, ser uma boa pessoa, institucionalização, só a fé sem obras. ) - mas nada disso vai funcionar, (Tiago 2:24, Efe. 2:8).
C. Deus veio até nós (João 1:1, 14) - isto é o que nos dá a oportunidade de alcançar o céu (1 Timóteo 1:15)

4. Não há limites para a apostasia.
A. Deus disse que não havia nada impossível para essas pessoas (v. 6) - eles estavam apenas limitados pela própria imaginação.
B. O caminho para a apostasia é um terreno escorregadio (2 Timóteo 3:13) – os apóstatas são limitados apenas por suas próprias imaginações; eles já não estão limitados pela palavra de Deus, porque eles foram além dela (2 João 9)
C. Portanto, por causa da natureza degressiva da apostasia, o erro deve ser combatido (2 Timóteo 4:2; 3:13;)
D. Haverá consequências se não formos capazes de se opor ao erro (1 Coríntios 5:6; 2 Timóteo 2:17)

Conclusão:
A. Quando Gênesis 11 começou, todo o povo da terra se uniram - então Deus os dividiu, porque o objetivo deles não estava em harmonia com o propósito de Deus para eles.
B. Desde então, todas as pessoas na terra foram divididas em várias maneiras - agora Deus procura reuni-las
C. Devemos estar unidos em cumprir o propósito de Deus para nós - paz com Deus, então a paz com os outros
D. Se buscamos a paz e a unidade de alguma outra forma, Deus não vai estar satisfeito conosco
Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget