A IGREJA QUE SOMOS

Apc. 3:22-  Laodiceia foi uma Igreja da Ásia menor, onde hoje é a Turquia, e ficava bem perto da cidade bíblica de Colossos. Por estar situada no vale do rio Lico e ser rota comercial do mundo antigo, a cidade era muito rica e influente e ainda conhecida por seus tecidos pretos, medicina e também por ser um importante centro bancário.

Haviam mais duas cidades no vale do rio Lico: Colossos e Hierápolis. Colossos era uma cidade conhecida por suas águas geladas e boas para o consumo. Hierápolis era conhecida por suas águas termais que ajudavam no tratamento de algumas doenças. Laodiceia, porém, não possuía fontes de água e precisou desenvolver um sistema de aquedutos para levar água até a cidade. Mas a água que chegava a Laodiceia era aquecida pelo sol no caminho e chegava a cidade morna. Assim ela não era boa para o consumo como a água de Colossos nem termal e boa para a saúde como as águas de Hierápolis.
 Pobre, cego e nu - Laodiceia era uma cidade muito rica e influente e tinham quase tudo que necessitava. A cidade produzia tecidos de lã negra que eram muito raros e famosos na época e também produzia um pó que servia para fabricação de colírio, que era também bem era raro, sua medicina era avançada. Aparentemente possuíam tudo que lhes era necessário.

Nossa identificação: Vivemos num tempo em que a Igreja tem, praticamente, tudo: temos louvor, temos grandes congregações, temos muitos astros evangélicos, temos um mercado cristão que cresce sem parar, temos influência política, temos muito dinheiro, temos influência social, etc. Temos tudo e não nos falta nada e é exatamente este o grande problema. Será que Deus precisa de tudo isso?

 A Pobreza - A Igreja hoje, assim como foi neste exemplo de Laodiceia, é miserável, pobre cega e está nua. Temos muito dinheiro e influência, mas perdemos o que mais importa: a comunhão real com o Espírito Santo de Deus. Quando passamos a dar mais atenção ao dinheiro, e às doutrinas de bênçãos e da prosperidade, esquecemos de Servir a Deus, pois "Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de aborrecer-se de um e amar ao outro, ou se devotará a um e desprezará ao outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas" Mateus 6:24. 
A declaração era: “sou rico e de nada tenho falta” não existe declaração mais reveladora da miserabilidade e cegueira do declarante.

 A Cegueira - Outra característica do nosso tempo é a cegueira, assim como foi em Laodiceia. Veja que quase ninguém se identifica com todos estes pontos que citamos acima, pois a maioria de nós nem percebe estas coisas. Estamos cegos, mas ainda assim batemos no peito com orgulho de possuir uma doutrina melhor e mais correta que a dos nossos irmãos. É uma incongruência muito grande se considerar sábio, mas negar a realidade em que se encontra e das escrituras. É como estar, de fato, cego, sem poder enxergar o caminho por onde pisa. Na minha opinião o problema maior da igreja é a sua seguira, pois a impede de corrigir os demais problemas: A naja é uma serpente terrível. Ela cospe seu veneno a dois metros de distância. Apontando para os olhos da vítima, cega-a, temporária ou definitivamente, e assim essa se torna presa fácil.

E não só estamos cegos em relação a estas coisas na Igreja, mas estamos cegos em relação ao tempo em que vivemos. A maioria de nós vive como se este tempo não fosse o Princípio das Dores ou como se tudo que se passa no mundo é totalmente normal e Deus se demora em voltar. Estamos cegos e nada vemos e este conceito é consequência disto.

 A Nudez - A nudez é a última das características citadas de Laodiceia. É interessante porque a cidade era produtora de lã, a nudez, entretanto, está mais relacionada a santidade neste contexto. Na maioria das citações sobre pessoas vestidas de vestiduras brancas (Apocalipse 7:9) o texto está se referindo especificamente a santidade. Se estamos nus é certo que não temos santidade. Separação para Deus, pano preto produzido, nada mais é que a cobertura do mundo, olhos no mundo, planos no mundo, conquista do mundo.

Igualmente, vemos que hoje em dia perdeu-se a característica da santidade no meio da congregação. O que se vê é um todo de pecado e irmãos que não conseguem vencer o pecado e o mundo. A começar dos pastores e líderes que são pegos constantemente em escândalos e em pecados de todos os tipos. A Igreja dos últimos dias está nua e necessita das vestiduras brancas da santidade. Precisamos de santidade, pois sem sanidade é impossível ver a Deus. Também é impossível receber a habitação que vem do alto, se formos encontrados nus, conforme vemos em Coríntios: "E, por isso, neste tabernáculo, gememos, aspirando por sermos revestidos da nossa habitação celestial; se, todavia, formos encontrados vestidos e não nus" 2 Coríntios 5:2-3.


Anúncio