O CARÁTER FORJADO NA GRAÇA


Gálatas 1.11-24 ,  Filipenses 1.6

Introdução O que é caráter? Caráter é a soma total de todas as influências positivas ou negativas, aprendidas na vida de uma pessoa e que se manifestam através de valores, motivações, atitudes, sentimentos. O alvo de Deus é forjar o caráter de Cristo em nós. Por isso, a partir da nossa conversão, o Senhor vai se utilizar de diversas ferramentas para forjar em nós o caráter de Cristo.
 Do momento da conversão de Paulo até o reconhecimento do seu apostolado ele passou por um processo que todos nós precisamos passar até que nos tornemos úteis nas mãos de Deus. Deus através da sua graça vai moldar em nós o Caráter de Cristo.

I – QUANDO CHEGAMOS AO FIM DE NÓS MESMOS:
     1.1. A primeira experiência que Deus levou Paulo após a sua conversão foi a experiência do deserto. Senão vejamos o que nos diz o v.17: nem subi a Jerusalém para os que já eram apóstolos antes de mim, mas parti para as regiões da Arábia...”
      1.2. Por três anos, Paulo viveu afastado dos irmãos de Jerusalém no deserto.  E nesse período, Deus usou a ferramenta da solidão em Saulo para forjar nele o caráter de um apóstolo. De que nos fala o deserto?  As motivações do nosso coração são checadas sob a luz de Deus. É um lugar de perseverança.
·         Deserto é o tempo onde o Senhor nos leva ao fim de nós mesmos para que aprendamos a depender apenas dele.
·         O deserto é a ocasião de aprendermos de Deus, de conhecê-lo intimamente. Por isso, nada é mais importante que a resposta que damos durante o processo de treinamento no deserto.
·         No deserto o alvo de Deus é nos levar ao fim de nós mesmos, assim como foi com Moisés. Enquanto ele achava que podia, Deus não pode usar usa vida. Quando ele chegou ao fim de si mesmo e achou que não podia mais, Deus o levantou para libertar seu povo do Egito.
·         Nós temos que nos esvaziar diante de Deus para que sejamos cheios de sua graça. Temos que nos esvaziar de nós mesmos, de nossos conceitos e experiências e “achimos” que travam a nossa vida e nos impedem de avançar. 

II – QUANDO APRENDEMOS A LIDAR COM AS ADVERSIDADES:
      2.1. Gálatas 1.17 diz que depois de passar pelo deserto Paulo voltou para Damasco. Foi nesse momento que Deus usou outra ferramenta para forjar o seu caráter em graça. Paulo teve que aprender a lidar com as adversidades, com rejeições, com acusações, com perseguições e todo tipo de hostilidade.
      2.2. Paulo chegou ao ponto das pessoas quererem mata-lo: Atos 9.22-24 Paulo teve que aprender a lidar com situações pelas quais ele jamais havia passado antes. II Coríntios 11.24-32. Os sofrimentos de Paulo eram em função da sua fé. Isso faz parte do nosso processo de amadurecimento.
  • Maturidade é ter os limites expandidos por Deus. Ser alargado por Deus significa que, depois de uma experiência ou situação, você não consegue mais ser como era antes.
  • Deus olhou para baixo e viu você como um diamante bruto e agora Ele está burilando as arestas. Ele nos coloca no fogo para refinar-nos e fazer surgir um produto mais valioso!
  • A graça de Deus está em nunca desistir de nós. Em acreditar que podemos ser transformados. Se ele continua investindo é por causa da sua graça! Filipenses 1.6

III – QUANDO NOS DISPOMOS A APRENDER COM OS IRMÃOS:
        3.1. Primeiro Paulo vai para a Arábia. Adversidade e rejeição. Paulo amadurece. Agora no verso 18 Paulo sobe a Jerusalém para encontrar-se com Cefas.
        3.2. O que Paulo foi fazer em Jerusalém? Foi a Jerusalém para fazer uma história sobre Jesus e os seus discípulos junto a Pedro. Paulo tinha a doutrina que Deus tinha dado diretamente a ele, mas não tinha a experiência de ter andando com Jesus como Pedro teve durante três anos e meio. Paulo não era discípulo de Pedro, mas certamente Pedro foi usado por Deus para que ele pudesse seguir para o nível seguinte. Você precisa ser um discípulo, precisa de alguém a quem possa prestar contas.
  • É nessa hora que a vida da igreja é fundamental para nós. Porque quando participamos da vida da igreja os irmãos são instrumentos de Deus para nos equilibrar, pra não permitir que saiamos do prumo, para nos advertir e muitas vezes impedir que saiamos do propósito de Deus. Nunca se esqueça de que os irmãos mais maduros em Deus são necessários para a formação do nosso caráter.
  • Jamais despreze o valor de congregar, de estar junto, de viver a vida da igreja.
  • Por maior que seja sua experiência com Deus. Mesmo que como Paulo você tenha recebido uma revelação direta do Senhor, ainda assim você precisará dos irmãos para ter uma vida equilibrada. Porque os irmãos nos equilibram.
  •  Tem gente que só aprende com Deus. Mas se quisermos crescer precisamos ter a humildade de enxergar Deus na vida dos nossos irmãos. Essa é uma chave para o nosso crescimento, não despreze a vivencia na comunidade cristã! Você precisa da igreja, não ao contrário.


Anúncio